sábado, fevereiro 12, 2011

Vivam os auscultadores!

Em Portugal, na Alemanha, em todo mundo dito «civilizado», cada vez as pessoas se permitem menos tempo para escutar o silêncio. Escondem-se atrás de «headphones» a toda a hora, na rua, nos transportes públicos, a estudar, a trabalhar, a praticar desporto...
Parece que tememos cada vez mais estar connosco próprios, como se isso fosse demasiado assustador. Ouvir as vozes que ecoam de dentro não é fácil, mas é extremamente necessário. Imagino como farão os mais maníacos desta obsessão anti-silêncio com o sono. Será que também adormecem ao som de música ou de televisão?
Estamos cada vez mais civilizados, dizemos e dizem-nos. Sentamo-nos em cafés de cadeias internacionais do tipo «Starbucks», numa qualquer cidade europeia há poucas décadas atrás quase inacessível para um vulgar tuga. E lá estão os auscultadores...
Bem, com todas estas tretas tirei os ditos cujos e já não me posso ouvir... Vou voltar aos auscultadores e a textos bem interessantes...
A bem do meu sossego interno...

4 comentários:

Carla* disse...

Para mim, não há nada mais perturbador que o silêncio, principalmente o interno. Deixa-me de tal maneira afectada... ando frequentemente com os headphones, mas cada vez com menos frequência. Ultimamente tenho-os trocado pela escuta de conversas nos transportes públicos, das lamúrias e do "cá estamos" - e este, à sua maneira, também me tira do sério.

rtp disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rtp disse...

Curiosamente e, como até se depreende do final do teu post (e do comentário da Carla), julgo que o uso dos ditos auscultadores, com frequência, não é sinal de medo do silêncio, antes representando a busca de uma espécie de silêncio. As sociedades ditas civilizadas são - até como resultado de tudo aquilo que representa o seu nível civilizacional - muito ruidosas. E o uso de auscultadores permite escapar dessa profusão de barulhos, propiciando-nos a ocasião / concentração para a leitura, a reflexão e, também, para escutar a voz* interior de que falas. Daí que nas bibliotecas desse país civilizado, apesar de haver um cumprimento escrupuloso da regra do silêncio, a maioria das pessoas use auscultadores.

* Aliás, tu falas em vozes interiores: suponho que te referirás às vozes do "eu" e do "mim" sempre em contradição... :-)))

v.s disse...

há pessoas que têm um medo terrível de enfrentar a solidão, de estarem sozinhas consigo mesmo. Mas eu acho que é preciso sabermos estarmos primeiro connosco para estarmos com os outros, porque a longo prazo pode ter consequências muito más não nos conseguirmos aturar a nós próprios... embora também eu adoro ter sempre um background musical para tudo :)