sexta-feira, Julho 07, 2006

Guerra Junqueiro e a Lei



Em dia de aniversário da sua morte (7/7/1923), o T&L homenageia o escritor bacharel em Direito.

Falam Condenados

Faminto, nu, sem mãe, sem leito,
Roubei um pão.
Quem vai além de farda e de grã-cruz ao peito?
- Um ladrão!

Todos os crimes da Desgraça
Em mim reúno.
Quem vai além tirado a parelhas de raça?
- Um gatuno!

Pela miséria crapulosa,
Eu fui traído.
Que esplêndido palácio em festa! Quem o goza?
- Um bandido!

Viola, seduz, furta, assassina,
Milhão, És rei!
Que prostituta está cantando àquela esquina?
- A Lei!

3 comentários:

luisa disse...

O bacharel? Valha-me Deus. "Vossecência" é uma enciclopédia andante.
Mas eu do Guerra Junqueiro gosto muito é do poema da moleirinha, toq toq toq pela estrada fora.

filipelamas disse...

Quanta honra, ó Grande Chefa! Enciclopédia é mesmo Vossa Senhoria que dá cartas onde quer que esteja! Também gosto muito da moleirinha...

Tiago disse...

eu diria mm k e uma biblioteca rolante;)

so pa deixar um gd abraco no melhor blog da net