sábado, setembro 24, 2011

Tonhos

Notícia do Público de ontem:

Os estudantes do ensino recorrente podem completar o secundário num ano e estão dispensados dos exames nacionais. Muitos acabaram com média de 20 e entram nas faculdades com facilidade, passando à frente daqueles que fizeram o ensino regular. Dirigentes escolares falam em situação "escandalosa" mas a situação é legal.

É Portugal no seu melhor. As novas oportunidades há muito chegaram ao ensino superior. Só não vê quem não quer. Pensava, contudo, que seria só com o ensino superior privado. Afinal até o público está à mercê de uma legislação para "encher o olho" de licenciados à pressão, para ficarmos bem na fotografia da literacia (mesmo que muitos sejam iliteratos). Esqueceram-se apenas dos desgraçados dos "tonhos" que fazem o percurso direitinho e que se esforçam a sério. Mas isso são coisas de somenos importância num país de "xico-espertismo".
Viva Portugal! No seu melhor...

2 comentários:

carlamferreira disse...

Infelizmente, Portugal sempre a potenciar o caminho do facilitismo. As Leis existem e são no papel. As sanções existem mas não passam de ameaças infundadas.
Conheço quem este ano tenha tentado um curso e que não entrou por 3 décimas... Uma pessoa que trabalha à séria. Espero só que não tenha sido tristemente ultrapassada por estes chico-espertos.
O mundo do facilitismo é regra no nosso país. E começa desde petizes, cada vez mais no básico e no ensino primário, em que se passam os meninos só para não ficarem retidos e não serem estigmatizados... Em que os exames nacionais do ensino secundário são anedoticamente cada vez mais fáceis. Depois as médias do ensino secundário sobem em flecha, levando ao pensamento erróneo de que temos cada vez mais sábios... E depois chegamos ao Ensino Superior, em que a exigência é pedida - em certas instituições privadas é apregoada e, se virmos com olho clínico, a exigência deles é a mesma que eu preciso para fritar um ovo. E noutros casos, e mais transversalmente às instituições públicas e privadas, procuram-se licenciados à pressa, com boas notas para passar a boa imagem da casa, sendo que para tal "não se vêem" as contribuições electrónicas que os telemóveis têm nos exames, ou as folhas que abundam em cima de uma mesa de exame...
É necessário que realmente se tomem medidas exemplares. Que as sanções não sejam só advertências idiotas que não levam a nada. É necessário remar contra a maré e exigir verdadeiramente das pessoas.

Anónimo disse...

é...é mais do mm...bota magalhães nisso k isso passa :)