sábado, agosto 29, 2009

Early Night Posts (62)

Félix Vallotton, Im Mondschein
“O homem sobre quem escrevo não é célebre e talvez nunca o chegue a ser. É possível que ao atingir o fim da vida, não deixe, da sua passagem pela Terra, vestígio maior do que aquele que a pedra, atirada ao rio, deixa na superfície das águas. (…). Mas é possível que a singular força e doçura do seu carácter tenham uma influência sempre crescente sobre os seus semelhantes (…)”
***
“Larry ouviu-me com os olhos fixos no meu rosto, sem pestanejar, e, não sei porquê, a sua expressão contemplativa levou-me a pensar que ele escutava, não com os ouvidos, mas com algum órgão auditivo mais sensível e mais íntimo. (…)”
***
“Que procura nesses livros? – perguntou-me.
- Se o soubesse, estaria pelo menos a meio do caminho.
***
“Soprava um forte mistral e a baía, em geral tão lisa, estava salpicada de espuma branca. Os barcos de pesca baloiçavam-se suavemente. O sol brilhava esplendorosamente e, como sempre acontece quando há mistral, todos os objectos pareciam mais nítidos, como se fossem vistos através de lentes admiravelmente enfocadas. Emprestava uma vitalidade latejante, enervante, a tudo o que a gente via. (…) [Larry] Continuou em tristonho silêncio, que não quis perturbar. (…)
- Shri Ganesha costumava dizer que o silêncio também é conversa – murmurou.”

Somerset Maugham, O fio da navalha, Editores Associados, s.d., p. 7, p. 128, p. 217, pp. 253 e 254.

4 comentários:

filipelamas disse...

Passagens de grande beleza e sentido! Fiquei com vontade de ler!

Ignotu disse...

É bom saber que por aqui ainda andam... e sempre com a mesma qualidade!

Baudolino disse...

Grande obra!
abraço
P.

rtp disse...

Olá, Ignotu! É bom sabê-lo de volta! :-)

"O fio da navalha" é mesmo uma grande obra, Baudolino!
Contrariamente ao habitual, e por várias razões, li-a lenta e pausadamente. E a verdade é que o tempo de leitura multiplicou os motivos de reflexão. E o poder da história perdura ainda.

Filipelamas, se gostaste destes excertos, deixa-me dizer-te que a obra tem muitas mais passagens dignas de realce. Aliás, quando estava a escolher algumas para pôr num post, até ia desistir, porque a escolha era demasiado difícil e pareceu-me que destacar algumas passagens atraiçoaria a grandeza da obra...